sexta-feira, dezembro 29, 2006

O Toque de um Ano !


Em nome de quem...


Pensei em desejar
Para todos um Bom Ano de 2007
Com muitos...muitos sorrisos
(Aqui fica! mas... apetece-me continuar)


Para todos?
Quais todos?

E o que vou desejar?
À criança que foi pela morte, torturada!
E à outra?...pela loucura, violada!
E aquela?... de cabelo cor de fogo...
Que só conhece as estrelas, por tecto!
E a esta outra?...que escreve guerra...
Dizendo que é por amor à sua terra!


Tantos são os sorrisos de hipocrisia
Que crescem na mentira do dia a dia!
Se alimentam de intrigas e inveja...
E prostituem as asas dos anjos...
Que um Bom Ano nos deseja!


Ai!...como me sinto perdida!
Pela desilusão (quase) consumida!


E o espírito de solidariedade?
Que não faz parte de nenhuma santa trindade!
Andará por onde?...esquecido?

E onde está?
O tal menino jesus...
Que nasceu para nos salvar!
Cresceu e foi condenado à cruz...
Para a humanidade purificar?
Passeiam-te em procissão...
Num florido andor dourado...
(Melhor é ficares na gruta aconchegado)
Ai!...pobre de ti!
Coitado!

Será...que foi o Mundo?
Que nasceu em palhas deitado...
De animais rodeado...
E está a ser por nós, crucificado!



E o Mundo entrou no templo dos homens!
Em fúria desenfreada de olhar alucinado!
Expulsou a chicote a desumanidade!
E não mais, acordou, no berço deitado!


Su@vissima

quinta-feira, dezembro 28, 2006

O Toque de um sonho de Natal !



Sonho meu...

Num sonho meu...
Deste tempo soberano de prazer.

Voas-me...
Feito pássaro de algum horizonte
Entre o céu do sonho teu...
E a terra do meu ser.

Tomas-me...
Entre o conforto dos braços
E o brilho desse teu olhar
Que me encontra em ti...perdida
E no afagar te reconhece o abraço.

Tanto desejo em idade por inventar
Quando me entrego de vontade, vestida.

Faz-me tua musa cigana...
Lê na minha palma da mão
A sina do teu coração.

E ali estavas tu, vestido de presente...
(Na lareira da minha emoção!)

Su@vissima


terça-feira, dezembro 26, 2006

O toque de uma dádiva de Natal !


Era Natal...


Com o Natal ali mesmo ao lado...

Convidas-me a seguir-te a estrela
Que os teus lábios quentes fazem brilhar
De um querer tão perfumado...
Abres em segredo o céu da minha janela
E provocas-me com esse teu olhar
Que me segue o caminho traçado...
(Por entre vales e montes desnudado)


Mãos que me caminham a pele...
E me vestem de um igual desejo
Ali aos pés da minha árvore de Natal
Depositando a oferta de delicioso mel
Que partilhas no instante do beijo...
Abraçado em toque mágico sem igual.


E tu chegaste a mim, neste Inverno
Vestindo a minha pela nua...
De um feitiço cigano, apaixonado.
Perco-me nesse teu mar de voz terno
Quando me fazes completamente tua...

(Com o Natal aqui mesmo ao lado!)

Su@vissima





terça-feira, dezembro 19, 2006

Um Toque gelado !




O frio de mim...


Ontem e amanhã...sonhei
No perfume do teu sentir.
Limpei o sonho á dobra do lençol
Com fome de à tua boca sorrir
E dormir no dorso do teu Sol.


Hoje fica-me de "um adeus", os medos
Tal qual uma doença incurável!
A que o vento sopra de feição...
E espalha ecos de alguns segredos
(O frio de mim é insuportável)
E o escuro instala-se no coração!

Hoje estendo o corpo da alma...
Num sabor de chaga viva
Procurando a tua alma do dia
(Porque perdeste a minha calma?)
Ou perdeste do meu corpo a melodia?


(Vivia na tua proximidade)
Hoje o meu sabor é diferente!



sexta-feira, dezembro 15, 2006

Um Toque de mão dada !




Mãos vadias...


Desenho palavras por entre as ruas
Aquelas que caminho ao dobrar da esquina
Onde passeou um homem e uma mulher
De olhos dados nas mãos nuas...
Sorrindo e brincando, feitos traquinas.


As palavras já não se lêem...
Perderam na neblina a cor
Feitas páginas de frases vadias
Almas inocentes que já não se vêm
E se desnundam em vogais sem pudor.


O homem diz que as frases não são suas!
Apagou-lhes o esvoaçar dos beijos
Sacudiu o verde da lapela...
E as rimas saem inocentes e cruas
Poema perdido entre incertos desejos.


Passam a mulher e o homem...
Por entre ruas de palavras menores
Procurem-nos não os deixem esquecer
Não podem viver só no outro ontem
Que era de sentir e colar sabores...
Mas também no amanhã do aprender!




Su@vissima

quarta-feira, dezembro 13, 2006

O Toque deste Natal !





Carta da holly* para o Pai Natal

Era uma vez...
Assim começa esta história

Um pequeno tronco de azevinho...
De cor verde, mais verde que existe
Com enfeites de vermelho diamante
Esquecido a um canto...sozinho.
Porque estará assim triste?

Toquei-lhe suavemente...a medo
Olhou para mim com surpresa
(Com um olhar de rara beleza)
E disse-me quase em segredo:
Leva-me contigo...queres?

Peguei-lhe pela mão...
E partimos as duas sorrindo
Por entre os acordes de uma canção!

Já a Lua anunciava a noite a nascer
E o luar iluminava os cabelos do mar
Pediu-me de'mansinho:
Preciso de ti para escrever...
Uma carta ao Pai do nosso Natal
Para que este seja diferente
O início de uma festa sem igual
E o Mundo aprenda...a ser gente!

Meu querido Pai Natal
Sou um simples pedacinho de azevinho,
Lembras?...Usas-me a enfeitar teu barrete!
Desculpa a minha ousadia...
Mas, sei que me olhas com carinho!
Vou pedir-te algo para a humanidade:

12 dias de Natal de boa vontade!

No 1º dia...
Peço-te que silencies a guerra
Devolve-nos os sons da natureza...
Que volte o Amor pela mãe terra!

No 2º dia...
Traz-nos de novo a Paz
Não deixes que a voltem a enganar
Mostra-lhe a falta que nos faz!

No 3º dia...
Não deixes que exista criança
Com tristeza e lágrimas no olhar
Oferta-lhes a magia da esperança!

No 4º dia...
Acaba com a palavra dor
Que desapareça a mágoa do sofrimento...
Que ninguém beba desse amargo licor!

No 5º dia...
Liberta os nossos animais
Que não mais vivam em cativeiro...
E as grades não voltem jamais!

No 6º dia...
Devolve a alegria aos oceanos
Que voltem as águas de olhar limpo...
Acabem os rios de enganos!

No 7º dia...
Protege a amiga floresta
Acabem com a sua destruição...
Vamos multiplicar a que resta!

No 8º dia...
Que a disputa nascida do poder
Desapareça do bater dos corações...
E saibamos nas margens do mesmo rio viver

No 9º dia...
Apaga a palavra sem-abrigo
Substitui por "minha alegre casinha"...
E oferece o amor de um tecto amigo!

No 10º dia...
Encontrem abraços de Amizade
Esqueçam a cor feia da hipocrisia...
Vivam as cores do arco-íris da verdade!

No 11º dia...
Que se apague a tristeza do olhar
Volte o tempo do carinho e da ternura...
Voltem a conjugar o verbo partilhar!

No 12º dia...
Concede-me só mais este pedido
Que seja o primeiro de muitos Natais...
Para alguém que está do Natal, perdido!

(Peace and Love)

Su@vissima
*holly (azevinho)




segunda-feira, dezembro 11, 2006

Um Toque de chamamento !




Passaram mais do que dias...


Hoje é daqui que te chamo...

Companheira de olhar traquina
Na beleza das horas de contigo brincar
Recordo-te nesse jeito tão pequenina
Orelhas atentas, sempre a escutar
Olhos meigos sempre a brilhar
Meu anjo da guarda de quatro patas.



Hoje é daqui que te chamo

Preciso que me saibas entender
Que sintas porque te deixei partir
Impossível ver-te mais sofrer
E creio que já nem querias resistir
Era chegado o tempo de outro voar.



Hoje é daqui que te chamo...

Amiga que tanto me fez sorrir
Tu sabes que era aquele o momento
De te soltar as asas e deixar ir...
De te ajudar a sair ao vento
Até um dia a tua brisa encontrar.


Hoje é daqui que te chamo...

Escrevendo de tristeza silenciosa
Invisível nos dias do calendário

Serás o perfume de uma rosa
Vivendo sempre no meu imaginário!
De mão dada no meu caminhar.




quinta-feira, dezembro 07, 2006

O Toque de alguém !




Na pele...


Fui cheiro de algas...

Fui sabor a Sol

Fui tágide do Tejo

Decote das tuas dunas...

Ondulando no teu desejo

Gozei-te nas nuvens

Banhei-te no beijo

Abriste-me a...porta

Possuíste-me no céu!

Su@vissima