segunda-feira, março 27, 2006

Um Toque de desencanto!




Presente do futuro


Vagueiam num deserto de azul,
Na imensidão do seu voar,
No "extase" do eterno navegar...

Trazem os lírios da verdade,
Nos cabelos da fantasia...
Avisam a próxima criação,
Do som animal da geração...

Adormecem infantilmente...
Buscando em suas melodias,
Os sonhos de criança....
Descendentes de aves sem esperança.

Vestem-se do nada, para fulcro do voo,
Dizem-se um qualquer génio...
Qual divindade esquecida,
Tropeçam na ausência de vida...

E um dia, extinguem-se nas drogas!

Su@vissima




1 comentário:

frog disse...

Este poema devia ser um grito, escrito no pretérito mais que perfeito, com os sinos reticentes em música de fundo...

Belo Poema! Aliás, estive a ler atentamente toda a poesia que aqui nos mostras e gostei muito!... Vais para os meus favoritos!

Um beijinho